Skip navigation

“ 20 – Não sou feliz! A felicidade não foi feita para mim! Exclama geralmente o homem, em todas as posições sociais. Isto prova, meus caros filhos, melhor que todos os raciocínios possíveis, a verdade desta máxima do Eclesiastes: “A felicidade não é deste mundo”. Com efeito, nem a fortuna, nem o poder, nem mesmo a juventude em flor, são condições essenciais da felicidade. Digo mais: nem mesmo a reunião dessas três condições, tão cobiçadas, pois que ouvimos constantemente, no seio das classes privilegiadas, pessoas de todas as idades lamentarem amargamente a sua condição de existência.”

Evangelho Segundo o Espiritismo  –  A Felicidade não é Deste Mundo  –  Capítulo III

A percepção dos espíritos em relação à vida material, praticada na Terra, é muito apropriada. Mesmo sem esse estado evolutivo, boa parte dos encarnados consegue observar as lamúrias, as insatisfações e frustrações das pessoas. Tais características não escolhem raça, padrão social, situação financeira e nem mesmo hierarquias acadêmicas ou padrões culturais. Enfim, a felicidade não está na coisa que se possui, nem se localiza em espaços ou condições externas, alheias à realidade interna de cada espírito que segue na jornada de seu aperfeiçoamento.

Culturalmente, aliás, poder-se-ia afirmar que, antropologicamente, o bem estar e a estabilidade gerada pelo estado de felicidade, foram delegados à ordem dos mistérios, ou o  campo desconhecido às outras vidas que transcendem à própria condição de ser de cada um. Ou seja, o homem passou e, ainda mantém essa ação, buscando sua felicidade nas outras vidas e em coisas inanimadas.

A senda espiritual, descrita pelos espíritos na decodificação, constitui-se num mundo onde o sentido é concretizado. A harmonia relacional se dá por princípios fundamentados e por valores devidamente aplicados ao bem estar de todos e à possibilidade de evolução continua. Há igualdade e fraternidade, igualmente pautadas pela liberdade em que se encontra cada uma das amas. Há um amadurecimento para as livres escolhas exercidas pelas almas.

A felicidade, então, dissipa-se de um único mundo, independentemente do lugar que se ocupa. O mundo interno, localizado junto ao espírito de cada um de nós que segue em caminhada à luz, à religação com Deus e nossos semelhantes mais amadurecidos. Isso significa que a Terra, nosso espaço situacional, pode e devem ser estruturadas para uma vibração radiante de felicidade, sem a desnecessária espera de se alcançar esferas etéricas mais distantes, para poder saboreá-la.

Há felicidade é uma extensão para todos os mundos, em cada uma das missões e sob qualquer tipo de aprendizado que venha a ser experimentando e internalizado à ascensão dos filhos de Deus. Vós sois o espaço único e radiador de toda a felicidade da vida eterna que caracteriza a passagem. Independentemente da faixa de atuação, da frequência estabelecida. Só isso produzirá, continuamente, a vibração de amor ensinada e propagada por Jesus a cada um de seus irmãos.

Assim, sejamos felizes. Procurais e acheis esse estado dentro de ti.

Felicidade I

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: