Skip navigation

Celebremos o aniversário de Jesus. Essa é a exclusiva razão para se interromper esse ciclo maluco que nos colocamos à disposição para viver. Não são bolinhas, ceias ou presentes valiosos que determinam o momento que deveria ser consagrado como o renascimento de cada um.

O natal simboliza o ícone filosófico de várias religiões ocidentais e de algumas orientais, Jesus Cristo. Por isso, um instante fundamental para refletirmos a maneira como estamos conduzindo nossas próprias vidas, nossas relações com as pessoas e a execução de nossa missão.

Avaliar a intensidade da nossa felicidade e da motivação que nos faz acordar todos os dias para o cumprimento das tarefas, é um mergulho indispensável a nossa condução. Afinal, é essa qualidade que dá o devido valor ao que fazemos e o quanto, de fato, conseguimos auxiliar as pessoas que necessitam de nós.

Aos papéis e responsabilidades assumidos, quantos inocentes que se quer solicitaram participar de nossas vidas, almejam serem ouvidos ou escutarem palavras de orientação ou de estímulo. Somos pais, mães, esposos e esposas, colegas de trabalho, enfim, seres sociais que convivem e contribuem, direta ou indiretamente, para a qualidade de vida dos outros. E será que assim o fazemos? Importantíssima reflexão.

O valor dado às circunstâncias da vida, e até mesmo as pessoas, efetua-se com justiça, de acordo com a precisão de cada um? O abraço, o beijo e o reconhecimento sobre o sofrimento ou a alegria vividas pelos que nos rodeia, qual é a minha parte de contribuição e responsabilidade sobre esses efeitos à vida dos que afirmo amar?

A integridade sobre o meu desejo e meu atual estágio evolutivo é respeitado? E da mesma forma preserva aqueles que comigo caminham? Há honestidade, caridade e amor verdadeiro sobre minhas ações e intenções? Ou me egoísmo ultrapassa todos os limites tornando-me nocivo a mim, as minhas condutas e as construções edificadas em prol daqueles que anseiam a mera choupana ao invés da suntuosa catedral sem sentido?

O natal é o momento mais fecundo para se refletir a cerca da verdade aplicada sobre mim e para o outro. Pouco importa o que e o quanto se come, a marca do presente ou os valores aplicados desvairadamente com forma de compensação para os erros arbitrários, as ausências e negligências cometidos ao longo de todo o ano. Não há dúvidas de que é o instante mais fecundo para se aprender e ensinar, celebrar o real sentido da vida.

Aprende-se com o que se faz, analisando fatos concretos, exercitando a humildade em reconhecer o impacto provocado às vidas dos meus e até para com aqueles que nem sabemos quem são. É o tempo de se ouvir, reconhecendo a intensidade do impacto provocado à vida daqueles com quem se convive. É a hora de ensinar, mostrando às novas gerações o real sentido que se busca para uma vida melhor. A vida fraterna, igualitária e de acesso a todos os irmãos que se assemelham nessa gigantesca família de sobrenome humanidade.

De fato, o natal marca o início para a oração, o contato com Deus e a intimidade com o irmão Jesus. Ponto de partida para a transformação diária, a partir dai , para a vida de todos aqueles que se dizem cristãos. É a interrupção do auto endeusamento, e detrimento à aproximação, de fato, da compreensão de tudo aquilo que fora dito através das ações de Jesus, pouquíssimo lembrada em nossa rotina e ao longo dos 365 dias que compõem o ciclo anua em que nos deixamos levar, descabidamente.

O Natal não é comércio e nem gastronomia e logo em seguida a perpetuação contínua de tudo aquilo que se faz pela e para a vida insanamente. Isso é estupidez. O Natal é o marco para a reforma íntima e pessoal, vivida diariamente junto à família, ao trabalho, à sociedade. Uma parada que reflete a maneira para se ser, efetivamente, cristão, coerente com aquilo que se mistifica e ritualiza, transmutando a nossa conduta pessoal e contribuindo para a transformação da coletividade e do mundo em que nos inserimos. Reconhecendo erros, imperfeições e tendências negativas que carregamos, lutando, para a construção de um mundo melhor para os que sobrevivem em um mundo ainda nada bom.

O natal celebra, tão somente, a religação a Deus, mais uma vez, através da figura de Jesus. Todo o restante vem da evocação desproporcional de pessoas que incompreendem o que é e como é o natal em sua essência.

Desejo a todos um feliz natal, reiterando que de fato convidem a Jesus para seus festejos, dando um sentido concreto à família e à tarefa exercida por cada um nessa nova oportunidade experimentada, diariamente, pelo símbolo do renascimento que é o nosso despertar. E que cada um lembre-se de Cristo apenas como o homem de coragem que fez, pois isso já dará grande impulso às mudanças pessoais que cada um precisa para suas vidas. Da sua coerência entre o discurso e a ação. Que Deus os abençoe hoje e sempre e que assim seja.

Image

One Comment

  1. Feliz navidad! Merry christmas. Feliz natal. Happy 2014!


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: