Skip navigation

João Caetano Groff Gomes

16 anos

Meu filho

 

Nós vivemos em um mundo em que os estímulos são constantes e intensos, sempre estamos conectados e comemos comidas que são extremamente pesadas para nosso organismo, nosso entretenimento não passa do simplório e as pessoas vivem superficialmente. Aliás, considerando o número de queixas e as lamúrias versadas nas ladainhas que percorrem as insatisfações humanas, poderíamos avaliar ai uma sobrevivência superficial.

Hoje em dia essas coisas são normais, são rotineiras e não conseguimos viver sem elas, mas a saúde mental e social cada vez mais se deteriora. Assistimos filmes, novelas e séries que demonstram uma facilidade e desdém sobre a vida e o cotidiano, e acreditamos e vivemos sobre essa perspectiva, que a vida é fácil, e que todo momento é alegria. Direcionamos a nossa atenção para aquilo que é mais fácil, simples e que faz das nossas vidas uma ilusão sem fim, um prazer imediato que afasta o ser da satisfação plena. Por sinal, nem conseguimos definir, de fato, o que seria e como seria essa satisfação.

 Isso gera um descontentamento enorme no espírito humano, acabamos ficando sempre entediados, e o dia mais lindo não tem valor, porque nosso cérebro se enjoa, sempre querendo voltar para frente de uma tela. A mente, igualmente, volta-se para as elucubrações que nos direcionam às fantasias e a um mundo, suposto e devido, onde esse espaço e esse tempo são sempre belos.

Nosso corpo não consegue acompanhar o modo como vivemos, tomamos cafeína, sódio, hormônios e o diabo a quatro, em doses que desestabilizam nosso organismo. Nossa sociedade tem metade do mundo morrendo de desnutrição e a outra morrendo de obesidade. Tudo é exagero, e isso mata o espírito humano, não temos mais curiosidade, porque nada nos abala, vivemos superficialmente, porque profundidade não nos atinge mais, fazendo com que a desestabilidade mental se torne tão comum que, as pessoas não consigam mais se diferenciar e se ajudar nessa multidão de faces problemáticas. Não aproveitamos mais as belas músicas e as artes; tornamo-nos totalmente indiferentes, vivemos nessa cultura subjetiva, porque é confortável se distrair da tristeza, do que sentar e experimentá-la, e descobrir verdades de si mesmo.

O uso de drogas se tornou mais comum, porque se não tivermos o estimulo de que necessitamos, vamos morrer de agonia, então procuramos essas fugas de realidade, como se viver no momento fosse tortura. E nãofalo apenas da toxidade dos elementos lícitos e ilícitos. Refiro-me à ganância, ao egoísmo, à agressividade e principalmente à ausência de fraternidade e de amor entre as pessoas. Falo da honestidade e da pureza em ser, de respeitar e acolher ao outro como sendo essa a maior de todas as riquezas.

Não conseguimos mais aproveitar e aceitar a realidade como ela é, sem um amor perfeito, feito de momentos imaculados, sem finais felizes o tempo todo, e sem edição.  A vida é você tendo que passar pela transição de um momento a outro, mas o problema é que estamos tão fechados nesse circulo de estímulos que não nos percebemos quando estamos em um momento, só nos pegamos às vezes na transição, quando a bateria morre, a luz acaba, quando dirigimos ou tomamos banho, vemo-nos transitando no tempo, e estando perdidos, não olhamos para a jornada pela razão de nos encontrarmos distraídos. Ausentes das nossas próprias vidas, desejantes de nos apossarmos das alheias como se nossa capacidade e habilidade fosse algo insuperável ou um ícone que serve de exemplo para a condução daquilo que deve passar a ser.

Não estou falando que tecnologia e o desenvolvimento urbano atual é algo maléfico, mas existe tanta coisa desnecessária nessa vida que, esquecemo-nos da brevidade que é a oportunidade de participar, envolver-se e de se comprometer. Há uma urgência para se voltar àquilo que é essencial, ter uma conversa real pra variar, sem se esconder atrás dos escudos do orgulho e do poder,  olhando para o céu e percebendo que você é um pontinho minúsculo nesse universo imenso, e mesmo assim a infinidade de conhecimento dentro de si é arrebatador. Encontrar esse saber e com isso provocar a definitiva mudança que tanto precisamos para nossas vidas e para o planeta em si. 

 

Imagem

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: